quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Diários da Paixão (4)

Olá leitores!

A autora da história de hoje é minha amiga Gabriela Lima, confiram:



Palestras são sempre bem-vindas, ainda mais quando não há vontade de assistir àquela aula nada interessante... Era por volta de 11h45, faltava pouco para ir pra casa em mais uma segunda-feira típica e sem graça, mas eu mal sabia que logo o dia iria me surpreender.

Peguei meu celular e vi uma nova mensagem, era de um menino que eu nem conhecia, apenas quis ser meu amigo pela internet, me convidando para almoçar! Eu fiquei meio preocupada, não queria almoçar com ele, mas custa conhecê-lo? E para minha surpresa, algo mudou em mim assim que meus olhos o viram.

Ah o sorriso, o perfume, o jeito... Por algum motivo naquele momento ele não era só mais um menino que eu não conhecia. Naquele momento alguma coisa em mim mudou... Será que é paixão?



Paixão, verbo latino patior, que significa sofrer ou suportar uma situação difícil, na maior parte dos casos o apaixonado se machuca e como na história acima não podia terminar diferente. Paixão é algo que todos sentem, pelo menos uma vez na vida, por alguém, por algo, pelo time... É insano. Por exemplo, sou apaixonada por chocolate, sei que não me faz bem em excesso, mas é quase que um vício, o que fazer?

Descobri com o tempo que paixões são loucas e não fazem muito bem, mas o que fazer? Gosto dessa liberdade da vida, podemos aprender em todas as situações e nesse caso não é diferente, podemos escolher: Sofrer para sempre, amargurados? Ou deixar o tempo curar e aprender a amar?

Sim, eu prefiro
o amor, pois o amor suporta, não sofre, é puro e consciente, não louco, amar não dói, faz bem e pode durar a vida inteira, talvez a paixão sirva para que aprendamos a amar ao longo da vida. Ame, ame e ame. Ame as pessoas ao seu redor e espere. Pode ser que alguém aparece e te mostre que paixão também faz parte do amor...

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Diários da Paixão (3)

Olá leitores! 

Hoje o texto é do meu amigo Rafael Lucas (vale a pena dar uma olhada no blog dele!), que estréia na narrativa com esta história envolvente:


Era noite. O brilho da lua e das estrelas não era maior que o brilho dos seus olhos e do seu sorriso.
Como em um flashback, em meus pensamentos me perco e sou levado a lembrar de quando nos conhecemos...

Não sei o que me fez apaixonar por você... Talvez tenha sido o teu sorriso iluminado que me fazia viajar todas as manhãs quando você e suas amigas sentavam sempre no mesmo canto da sala de aula e, juntas, riam, interrompiam a aula com gracinhas e até me faziam rir também. Lembro que você adorava as aulas de Filosofia e era a mais interessada no assunto. Eu fingia gostar, só pra te agradar. Você me olhava de um jeito, e de outro. Conversávamos pouco. E eu não conseguia captar se você estava me dando bola ou não. Ah como eu era um bobão!

Via-te manhã após manhã, e eu ficava louco com o jeito que mexia no cabelo constantemente. No espelho tirado da bolsa, retocava o batom rosa, rapidinho, no meio da aula. Pensava no quanto eu queria que aquelas mãos macias acariciassem meu rosto e a minha nuca me fazendo arrepiar por inteiro. Até então eu era apenas um sonhador. Eu só queria viver aquele amor incontido. Até que chegou o dia do passeio anual da escola, onde toda a galera se reunia pra se divertir e confraternizar.
Com toda a minha timidez, te chamei num canto, e disse:
- Oi Gabriela. Tudo bem?
- Tudo bem! - ela respondeu.
- Eu sei que nos conhecemos pouco, mas eu tenho notado o quanto você é linda já faz algum tempo. Você gostaria de sair comigo no sábado? - perguntei, rindo nervoso. 
- Só aceito se for pra tomar aquele açaí que servem na lanchonete perto da minha casa.                                                

- Combinado! – respondi.
Estonteante de alegria,  beijei-te o rosto e você esboçou um lindo sorriso.


O grande dia chegou. Pus minha melhor roupa, usei o perfume e penteei o cabelo do jeito que você gostava.

Era noite. De lua, estrelas, sorrisos, abraços, carícias no rosto e na nuca, beijos e palavras que eu jamais imaginara ouvir. Você também me amava, e esperara todo aquele tempo pelo meu convite para sair.

Rafael, você está no mundo da lua? Seu açaí chegou! – disse ela, interrompendo meus pensamentos.
Sorrio. E no seu ouvido, digo baixinho:
- Era lá que eu estava.


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Diários da Paixão (2)


Olá leitores! 

Pedi a um amigo meu que escrevesse algo com o tema "paixão" e ele me entregou há algumas semanas este texto. O autor prefere permanecer anônimo. 

Ah! O doce sabor da manhã... Um novo dia começa e a excitação de encontrar a namorada. Acordo pensando nela - como gostaria de acordar ao seu lado minha gatinha, poderia olhar para os seus olhos todas as manhãs e falar que você é a mulher da mais bonita do mundo, mesmo você discordando e dizendo que está horrível, pois acabou de acordar.

A manhã está fria novamente com nevoeiro forte do inverno, o corpo dela é tão quente, pena que ainda não pude dormir com ela. São seis e meia, que horas será que ela acorda? Já estou louco pra mandar um SMS, será que espero ela envia primeiro? Melhor dar mais um tempo. Sete horas, agora posso enviar um SMS, queria mandar algo legal... Já sei! "Como eu quero acordar com o calor do seu corpo, dizer eu te amo e ir trabalhar lembrando do seu lindo sorriso enquanto dorme. Bom dia meu amor". Percebo que ela gostou…

Estou no trabalho, trocamos algumas mensagens; as vezes mais, as vezes menos, dependendo do assunto. Algumas coisas importantes e outras só conversa fiada. O que importa é que tenho a atenção dela e ela pensa em mim. Mas o que eu queria mesmo saber é o que ela esta fazendo, o que está pensando, será que ela tem alguma preocupação? Gostaria de abraçá-la, apertar sua mão, dar todo o meu apoio e ajudá-la.

Fim de tarde de inverno, seis horas e já está quase escuro, a temperatura cai rapidamente. A noite vem rápidamente, a visão dificulta, há muitas sombras de árvores, prédios, algumas estrelas aparecem a leste e a oeste o alaranjado do poente. Muito barulho, carros, ônibus, pessoas, muitas pessoas. Meu corpo treme. Estou ansioso, frio na barriga, detesto esperar, tudo é dúvida até encontrá-la.

De repente em meio a multidão, um olhar acompanhado de um lindo sorriso. E tudo o que era caos, tensão e ansiedade agora é calmaria e não há barulho algum. O sorriso com o qual sonhei, é todo para mim. Retorno o olhar com um sorriso, me controlo pra não correr para seus braços, dou alguns passos. O doce sabor de seus lábios é melhor do que sonhei. Após um longo beijo, a abraço sinto seu coração batendo forte e seu cheiro me enche de prazer e sinto que posso ficar assim para sempre.

Me recomponho e consigo falar algo...
 - Eu te amo, te esperei o dia inteiro, imaginando este momento! - Segurando suas mãos macias como as de uma princesa. - Vamos, meu amor, a noite é toda nossa.


domingo, 2 de setembro de 2012

Diários da Paixão (1)

Sinto em mim como se fosse de verdade. Eu quero que seja. Quero que me olhe e veja algo que nunca havia visto em outra garota. Mas você passa do meu lado e nem percebe que há sentimento em mim. Sempre existiu.


Outro dia, palavras saíram da sua boca, mas não eram as que eu esperava. 
 - Aly, você esqueceu seu livro na sala. 

O que eu esqueci mesmo foi meu nome, assim que você me entregou o livro esquecido. Minhas amigas dizem que eu deveria te dizer. E é por isso que tomei coragem para dizer o que sinto. 

 - Rodrigo, preciso te dizer... 
 - Estou escutando. 
 - Eu... espero que tenha um ótimo dia!

Ah, se você soubesse....