segunda-feira, 23 de maio de 2011

Half-Match

Olá queridos leitores!


Agora, o rolo do match!

Na primeira data, dezembro do ano passado, eu iria passar o Natal, era só umas duas semanas em Nova York, fazendo compras!


Já esse ano vi um site, o Cultural Care, que oferece um programa de intercâmbio como au pair (para jovens de 18 a 27 anos no qual você trabalha como babá e faz um curso a sua escolha). Me interessei, ainda mais pelo valor, que é barato. Mas eu não me encaixava nas exigências: não tinha carteira de motorista, nem 200 horas de experiências com crianças. Ok, eu tenho 27489827 anos de experiências com as minhas irmãs, mas nada oficial, que eu precisasse cuidar 24/7. E agora? Conseguir tudo isso, esperar mais 4 meses pra ficar online e mais alguns meses pra me escolherem? Eis que veio a solução: ir sem agência.


Então me inscrevi em um site de encontro de au pairs e famílias chamado GAP. Decidi pagar um mês. Se desse certo, ótimo; se não desse, iria procurar outro jeito de encontrar. Apareceram duas famílias: uma queria que eu fosse em março e a outra era judia, tinham uns esquemas bem diferentes! A primeira obviamente não deu certo por motivos explicados no último post e a segunda não me deu a empolgação necessária para continuar a manter contato com eles. Depois do mês que eu paguei, tive uns problemas com o site e deletei meu perfil.


Meu pai (Sr. Giba), um aventureiro nato, sempre me apoiou e me ajudou com informações. Ele sabia que eu queria ir para Califórnia mas, como eu não conhecia ninguém lá, achei pouco provável que um dia eu fosse trabalhar lá. Mas ele nunca deixou que eu desanimasse. Foi aí que ele lembrou que o primo de um amigo dele morava por aquelas bandas. Mandou um e-mail perguntando se eles poderiam me ajudar e o cara respondeu que eu poderia ficar na casa dele. Ele tem um menino de dois anos e meio e a mulher dele é fotógrafa! Perfeito pra mim! Exatamente tudo o que eu queria! Pensa em um pessoa que passou o resto do dia rindo, pulando, toda boba, teve até dancinha da vitória com o meu pai no meio da sala! (Sim, eu sou brega e tenho uma dancinha da vitória! rsrs)


Ir sem agência é um pouco diferente do processo de quem vai por agência. Então foi um match porque se eu quiser, eu serei bem recebida, mas ainda preciso saber direitinho o que eu vou fazer por lá, meus benefícios... A história com certeza não acabou, vou contar todas as novidades que eu receber aqui no blog! Esperem pelos próximos capítulos dessa novela!


Até!

2 comentários:

  1. Que leeegal, Lisy! Eu vou seguir seu blog, aliás... ;**

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Dani!! *-* Vc tem um blog também?

    ResponderExcluir